Série Figuras Day Trade: (Wedge) No Mercado De Capitais

Esse é o nosso segundo post da Série Operando As Figuras No Mercado De Capitais, veja o post 1 clicando aqui. Nesse segunda postagem eu vou te mostrar um dos padrões mais poderosos do mercado, ele vai ter algumas semelhanças com outros que você já deve conhecer… muitas vezes ele é confundido com os triângulos.
O foco desse post vai ser na figura Wedge!
Olha só, aproveita que vc tá aqui e curte a minha página do Facebook abaixo, tem coisas muito tops lá também!
Antes de mais nada eu preciso te alertar que o Wedge parece mas não é um triângulo, ok? Dá uma conferida abaixo nas imagens para diferenciar um do outro:
Esses são os triângulos: simétrico, ascendente e descendente. Os alvos e stops aqui são bem definidos, colocando os alvos no fechamento do movimento simétrico (copiar e colar como no padrão da bandeira, lembra?) e o stop acima/abaixo do topo/fundo mais próximo.
Agora dá uma olhada no Wedge, existem dois deles no mercado de capitais:
Viu? Ambos se parecem com um triângulo também, mas tem uma forma bem diferente e a maneira de operar, o gerenciamento de trade e risco e outras coisas que já vou mostrar fazem a grande diferença entre o Wedge e os triângulos comuns, e é exatamente por essas diferenças que ele é um dos padrões mais fortes do mercado de capitais.DICA: Quer receber conteúdo VIP e Exclusivo para Traders? Há conteúdos que não são postados aqui no site, então para recebê-los é só se inscrever abaixo:

Aqui nos EUA eles são muito recorrentes e consistentes, eu adoro operar essa figura quando encontro ela no meio dos gráficos.


Como é a formação do Wedge no mercado de capitais:

Todos eles vão ter variação de topos e fundos, se for um Wedge de Queda vamos ter fundos e topos mais baixos que os anteriores, e se for um Wedge de Alta vamos encontrar fundos e topos mais altos do que os anteriores.. Bem simples, o formato vai ser muito semelhante ao da imagem acima.


Onde esse padrão vai aparecer no gráfico:

Agora é que vem a parte boa e lucrativa, novamente…
O Wedge é um padrão que costuma aparecer nos tempos gráficos um poucos maiores, como o M5, M10, M15, H1, H4 e o gráfico semanal.
O mais importante aqui é sempre unir a força do próprio Wedge juntamente com outros fatores que indicam uma boa entrada, como a leitura de candle e o price action que já vinha acontecendo antes do padrão romper e indicar a compra ou venda.


Melhores lugares para operar o Wedge:

Claro, como em todo tipo de trade, sempre há aqueles locais do gráfico e momentos certos para operar. No caso do Wedge é bem simples. Se estamos em uma tendência de alta forte e vemos um Wedge de Alta formando lá em cima no topo dessa tendência, provavelmente o rompimento desse Wedge de Alta vai fazer o preço cair bastante para os próximos fundos ou quem sabe até as mínimas.
Se nós vemos um Wedge de Queda em uma tendência de queda forte, principalmente perto de algum nível de suporte já identificado anteriormente ou consolidação que ocorreu antes, esse Wedge de Queda vai ter mais força para subir em direção aos topos mais próximos caso ocorra o rompimento.
Se já estiver em uma tendência e ocorrer o pullback para o nível de 50% do Fibo, ele pode ser usado como padrão de continuidade de tendência também… Olha a imagem abaixo:
Os melhores lugares para operar um Wedge no mercado de capitais são próximos dessas áreas: resistências, suportes, níveis de consolidação (quando o preço está se aproximando/retornando para essa área), nas terceiras ondas do Elliott e quando completar um movimento simétrico de alta ou queda.
>> Dica importante: Pode ocorrer um pullback de volta à área do rompimento, então se você não entrou justamente no rompimento ou acabou perdendo o ponto de entrada por algum motivo, o pullback de teste é a sua segunda chance e é uma confirmação ainda melhor de que o rompimento vai continuar.

Onde não operar um Wedge:

Existem algumas regras claras que aplicamos para não operar o Wedge:
> Se o volume do rompimento não favorecer a continuidade do rompimento;
> Se estivermos no início da tendência de alta ou queda (é melhor operar quando estamos perto do final dela).
> Se houver o rompimento do Wedge mas a leitura de candle não confirmar força no rompimento nem no pullback de teste.
> Se o rompimento for justamente em uma área de suporte ou resistência.

Fatos importantes:

O Wedge não é uma figura de reversão de tendência… Apesar da tendência poder sim reverter, ele é mais usado com continuação de tendência ou para formar um pullback mais forte.
Uma coisa extremamente importante para você prestar atenção quando for operar o rompimento do Wedge é o volume. Quando o Wedge de Alta romper o volume da ponta vendedora tem que estar aumentando gradualmente, só assim o padrão vai ter força para continuar descendo até os próximos alvos.
O mesmo ocorre quando o Wedge de Queda estiver rompendo, queremos ver o volume da ponta compradora aumentando para os primeiros alvos serem alcançados com mais facilidade… Ninguém quer entrar em um rompimento falso no mercado de capitais, né?

Onde entrar e colocar o alvo e stop?

Essa realmente é a parte mais simples, o gerenciamento de risco/trade é moleza no Wedge.

Wedge de Alta: Sinal de Venda

> Entrada: Logo após o candle de rompimento fechar.
> Alvo: Pode ir tanto nos fundos mais próximos quanto na medida simétrica de baixa caso tenhamos ela para usar.
> Stop: No topo mais próximo antes do rompimento do padrão.

Wedge de Queda: Sinal de Compra

> Entrada: Logo após o candle de rompimento fechar.
> Alvo: Pode ir tanto nos topos mais próximos quando na medida simétrica de alta caso tenhamos ela para usar.
> Stop: No fundo mais próximo antes do rompimento do padrão.
Nas duas imagens acima você percebe que pegamos aquela medida da base até o topo do Wedge para projetar o nosso alvo? Quando não temos um topo/fundo muito visível e forte pelo caminho, podemos fazer exatamente isso. Medimos o “mastro” (como na figura da bandeira, lembra?) e jogamos lá após o rompimento para termos a medida do nosso alvo.
Claro, nem preciso falar que se o seu stop não estiver dentro do seu gerenciamento de risco o trade se anula, né? Nada de entrar na operação só por que rompeu… tem que caber dentro do seu próprio gerenciamento, já que muitas vezes o stop do Wedge vai ser um “pouquinho” grande por conta do tempo gráfico maior que ele costuma aparecer…
DETALHES IMPORTANTES SOBRE GERENCIAMENTO NO MERCADO DE CAPITAIS:
A gente sempre vai ter a nossa projeção com base nos topos/fundos e medida simétrica (da base ao topo) para medir o nosso alvo após o rompimento do Wedge, mas muitas vezes (como em qualquer outro tipo de operação) o preço pode continuar subindo sem parar e esticar bastante o movimento… muito comum principalmente na segunda onda do Elliott (a segunda onda é a maior de todas).
Nesse caso você deve (sim, deve) fazer o gerenciamento de stop, subindo ele pro stop gain logo abaixo dos fundos (pivôs) que o preço for deixando após o rompimento do Wedge de Queda e logo após os topos que o Wedge de Alta for deixando pelo caminho, ok? Não deixe seu stop no ponto de entrada quando o movimento alongar muito, joga pro GAIN!
Nessa imagem acima, dá uma olhada como ficou esticado a subida no mercado de capitais após o rompimento do Wedge de Queda… Ultrapassou tudo né? Tanto os topos anteriores como o próprio movimento simétrico do Wedge.
Aqui seria simples o seu gerenciamento, logo abaixo de cada fundo que foi se formando ao longo dessa subida aí… Quando o preço chegou lá em cima e começou a voltar para o pullback, você já poderia esperar pela segunda tentativa de rompimento daquele último topo pela ponta compradora e colocar o seu alvo logo abaixo dele.
Aqui é um exemplo de bom uso dos fundos como alvo no Wedge de Alta, perceba que o preço vai direto ao fundo que iniciou todo esse Wedge, sem nenhuma chance da ponta compradora tentar reverter..
Aqui não teve aquela segunda chance do pullback para você entrar na confirmação, mas sinceramente.. aquele topo (primeiro antes de romper) onde seria o seu stop estava em um local perfeito e curto.. Foi praticamente 3 por 1 no risco vs lucro dessa operação.
Você viu que quando chegou naquele fundo que iniciou todo esse Wedge de Alta o preço ficou em uma consolidação? Isso normalmente acontece antes de continuar a queda, dando uma “terceira” chance de entrada quando a ponta compradora colocar o último pullback.

Usando o movimento simétrico para pegar o alvo:

O Wedge tem a formação do movimento simétrico diferente da bandeira.. Na bandeira a gente pegava o mastro e duplicava para encontrar o nosso alvo. No caso do Wedge é diferente… A gente não vai usar a área antes de iniciar a figura… Usamos apenas a área que começou a formar o Wedge. Olha as fotos abaixo para ver como fazer isso:

Usando o movimento simétrico para pegar o alvo:

O Wedge tem a formação do movimento simétrico diferente da bandeira.. Na bandeira a gente pegava o mastro e duplicava para encontrar o nosso alvo. No caso do Wedge é diferente… A gente não vai usar a área antes de iniciar a figura… Usamos apenas a área que começou a formar o Wedge. Olha as fotos abaixo para ver como fazer isso:
Entendeu? Quando você começar a traçar as linhas para delinear o Wedge, use o início da formação e duplique, jogando lá no momento do rompimento para achar o seu alvo, ok? Show!!
Como eu disse antes, o Wedge é uma das figuras mais poderosas do mercado de capitais, então vale a pena ficar de olho nos tempos maiores para encontrar ele e aguardar o ponto de entrada formar.. Lembra de conferir o volume para ver se o rompimento vai ter força!
Bons Gains para você!
Ahh.. Já baixou o ebook Ports 4 Passos? Tá top demais, muitas pessoas baixaram e já estão usando a estratégia… Semana passada deu ponto de sobra, só na sexta foram 1.200 pontos no mini índice, confere o vídeo COMPLETO aqui.
Dá uma olhada nos vídeos do Youtube abaixo e aproveite para se inscrever no meu canal, tá vindo muita coisa lá.

Comentários

Deixe Seu Comentário Aqui...